Estamos de endereço novo.


Acompanhe nosso conteúdo diário e inédito, confira a programação semanal e participe:

Programação de 20 a 25 de julho

20/07 – Terça-feira
Amostras Poéticas 
Poesias aleatórias, livre apresentação, leitura e declamação de poemas aleatórios.
Entrada: R$ 3,00

21/07 – Quarta-feira
Blush – A Festa
Dj`s Aída e Palomita
Make Quick com Ana López
Entrada: R$ 10,00
Lista amiga paga R$5,00, até às 14h do dia 21 por email: blushafestabh@hotmail.com
22/07 – Quinta-feira
Formado por Matheus Ribeiro (Piano Elétrico) Igor Moreira (Semi-Acústica, Violão) Viní­cius Mendes (Saxofone, Clarinete, Flauta) Thiago Barbosa (Contra-Baixo) Rodrigo Mendes (Bateria), o Quarteto Guandu tem o intuito de pesquisar estilos musicais e reescrever peças de autores consagrados como Herbie Hancock, Baden Powell, Hermeto Pascoal, Tom Jobim, dentre outros.
Entrada: R$ 10,00



23/07 – Sexta-feira
- Nelson Bordello apresenta SEXTA FUNKY: Uma noite alternativa que oferece o melhor da black music, com DJs que são referências nos gêneros Funk e Soul (70 e 80), hip hop (old school e underground) e balanços brasileiros. Presença de dançarinos de soul, b.boys e outras modalidades das danças de rua. Nessa sexta, o discotecário residente Tomás convida DJ Deivid (Alta Fidelidade e Funk-se).
Entrada: R$ 10,00.

24/07 – Sábado
Show Proa (Música de perseguição e picadeiro)
DJs POA
Entrada: R$ 10,00.


25/07 – Domingo
- Formado por Nete Barros (voz e violão), Juliana Floriano (voz, percussão), Fabrícia Oliveira (pandeiro) e Taís Rezende (percussão), o Breque Samambaia tem como repertório canções próprias, inspiradas no Tropicalismo e Manguebeat, além do rock, salsa, funk e pop;
Entrada: R$ 10,00.


 Nosso site já está funcionando, confiram: www.nelsonbordello.com.br


  

Programação de 13 a 18 de julho

13/07 – Terça-feira
CHICO DE PAULA+BARULHISTA+TATU GUERRA+PAULO THOMAZ

Encontro lítero-musical entre artistas que conheceram Bordello em diferentes momentos de sua vida. A partir de afinidades descobertas entre seus trabalhos e sua relação com a cidade, os participantes recriam ambientes onde conviveram com Nelson e puderam ter com ele conversas metafísicas. Uma Jam Session poética, pra reencontrar sonoridades e memórias.
Entrada: R$ 3,00


14/07 – Quarta-feira
-“San Pedro Telmo"....cortiço musical!!! O Grupo formado por Pablo Passini no Violão, Olga Galeano no violino, João Paulo Drumond, Breno, Fred Selva nos Vibrafones, Jayaran no cello, Valéria no canto, Cecília na harpa, e Rúbia na flauta, surgiu em abril de 2010 com a proposta de homenagear nossos Hermanos argentinos.
Entrada: R$ 7,00
Desconto de R$1,00 para bigodes.




15/07 – Quinta-feira
- João Antunes Trio: O cool jazz, a música instrumental brasileira e composições próprias dão o tom do repertório do João Antunes Trio. Formado por Tarcísio Braga na bateria, Pedro Santana no contrabaixo acústico e João Antunes na guitarra; convidada Holly Holmes (EUA)
Entrada: R$ 10,00




16/07 – Sexta-feira
- Nelson Bordello apresenta SEXTA FUNKY: Noite de black music que irá sacudir as sextas-feiras da cidade. Dj residente Tomás, convida Marcos, do Mascara Negra.
Entrada: R$ 7,00.






17/07 – Sábado
-Trio SUITE (SP): Com repertório de canções francesas atemporais e composições próprias, o trio SUITE reinventa a atmosfera elegante e sensual de um cabaret à la Belle Époque.
-Dj Capitão Insano
Entrada: R$ 12,00.

POEMA RÉQUIEM

Caso não seja verso pra dor
Não declaro de público pra ninguém
Que fui seu maldito poeta escritor
Que numa noite qualquer lhe fez bem
Sou seu canalha de nível inferior
Seu brinquedo momentâneo e aquém
Do seu coração, da sua alma interior
Otário és teu desejpoema réquiem

Se não for verso de amor
Não declamo ao vivo pra ninguém
Que sou o seu cretino poeta cantor
Que um dia pra você foi alguém
Sou seu cachorro que arde de dor
Seu objeto sempre longe e aquém
Da sua satisfação, do seu corpo sabor
Utópico és seu poemamor réquiem

DuduLuiz de Souza e Roberta Lenna, 2009

Programação de 6 a 11 de julho

06/07 – Terça-feira
- Exposição dos cursos de extensão "Fotografia de Moda" e de "Planejamento e Desenvolvimento de Coleção" da UEMG, ministrados por Bárbara Dias, da equipe inVoga.
Entrada Franca


07/07 – Quarta-feira
- Noite dançante no Cabaré Nelson Bordello!
 
Nessa quarta, dia 7, às 23h, show com Jack S1ngle, cantando e dançando músicas imortalizadas por Sinatra, Nat King Cole, Gardel e outros crooners da época. Como artistas convidados, Marilyn Monroe, Glenn Miller e orquestra, Jobim e Sinatra himself dão as caras em vídeos que acompanham o artista. Venha com, ou encontre no cabaré o seu partner para dançar ao som de melodias inesquecíveis. Entre elas, I´ve got you under my skin, Fly me to the moon, As time goes by.

Entrada: R$ 7,00
Desconto de R$1,00 para bigodes. 


08/07 – Quinta-feira
- João Antunes Trio: O cool jazz, a música instrumental brasileira e composições próprias dão o tom do repertório do João Antunes Trio. Formado por Tarcísio Braga na bateria, Pedro Santana no contrabaixo acústico e João Antunes na guitarra;
Entrada: R$ 10,00 


09/07 – Sexta-feira
- Nelson Bordello apresenta SEXTA FUNKY: Noite de black music que irá sacudir as sextas-feiras da cidade. Dj residente Tomás, convida Geraldinho, do Quarteirão do Soul
Entrada: R$ 7,00.




10/07 – Sábado
- Festa Fórceps: Bordel do Fogo Encantado

Shows:
Lupe de Lupe (rock alternativo / noise) - http://www.myspace.com/lupedelupe
Utopia! (indie rock) - http://www.myspace.com/bandautopia

Djs:
Meio Desligado (música alternativa mezzo barulhenta) - http://dj.meiodesligado.com
Canhotagem (mashups) - http://canhotagem.blogspot.com/
Tina (trilhas rockers para sexo e flertes)

Exposição da artista plástica Patrícia Mara:  

Entrada: R$ 10,00.

11/07 – Domingo
- Gafieira com Senta a Pua! Senta a Pua!  resgata a tradição das antigas gafieiras e da dança de salão. Com Rodrigo Torino no violão de 7 cordas, Juventino Dias no trompete, Tiago Ramos nos saxofones, Pablo Malta no cavaquinho e Gustavo Grieco na bateria.
- DJ César Coelho
Entrada: R$ 10,00.


 



 

Um Conto Bordellesco

Foi entre 50 e 80, não me lembro. Mas certamente foi ou em BH ou em RJ, me lembro bem do ambiente. Eu vivia da libertinagem, contava lucros sob a estrela da manhã. Minhas garotas se riam da “coincidência” de nomenclatura. Ponho aspas porque entendo que coincidências não coincidem, ocorrem. Bem, eu estava bem. Havia uns garotos, que falablam portunhês, que me apresentaram aquela espécie de maisena brilhante. E, me dando tal mimo, eu os mimava com bacalhais. Os cheiros já mal sentíamos, os queijos abafavam todos os lábios, dos bacalhais e os nossos. Era uma vida boa, confusa, fácil, noturna.
Assim anos passavam, dinheiro, moças, maisena. Álcool só depois de umas cervejinhas, cigarros sempre e antes, depois também. Mal notei quando o lugar ficou cheio de políticos e portunheses, eles brilhavam as manhãs de minhas estrelas, e as estrelas de minhas manhãs. Carinhosamente me chamavam de herrói. Pelo erro que os ruía e roia eu os salvava. Muito do que hoje ainda existe começou por lá. Aviãozinho na época era monomotor, dos políticos, claro, mas que faziam o transporte portunhol.
Assim gastei um tanto de fuça. Sorri libertinagens, descobri impurezas do branco invadindo meu corpo e, na cadeira de balanço, enchia a boca de luar.
Mas como todo dia finda a noite, um dia a noite findaria meu dia. Comecei a perder bacalhau pra políticos e frans-chicanos. Também pra padres e outras Magelas. Fiquei mal, a maisena foi escasseando e minhas estrelas da manhã já nem tanto brilhavam. Estava eu preocupado e quase pendurado.
Pela manhã, sentado à sarjeta, um homem com um livro na mão e um sorriso ex-amarelo no resto me sorriu e estendeu a mão. Disse saber como afastar a maisena, afirmando que libertinagem nem pela manhã. Dizia de ouvia um homem que houve, dizia que este homem nos amava. O homem com o livro se chamava Edir, me disse mais cedo. Ele jurava me afastar da maisena, do espanhês, da libertinagem e do brilho da manhã. E eu me convenci, cansado de ter os postes sujos de urina como encosto.
No dia seguinte o estabelecimento não abriu, nem nos dois meses subseqüentes. Eu orava, de hora em hora, ora bolas. E de fato me sentia desencostado. Mais pobre, mas me sentia os cheiros nas narinas, e o álcool, quando Edir não via, eu ainda sorvia. Bacalhau só em dia santo.
Edir crescia muito, seu rebanho engordava. Pelo menos Edir engordava, eu via. Seu rebanho era cheio de encosto, e Edir, com talento de marceneiro, pregava. Num dia chuvoso de inverno, enquanto cobrava distâncias do inferno, Edir proclamou ser sexo útil somente pra reprodução. Lembrando bem de meus brilhantes dias me converti em convulsões e saí de sua igreja, já tinha eu feito vasectomia, e sei que com isto, economizei uns bons tostões.
PS: Tostão me deu bons Cruzeiros também.


Henras.

Histórias de Nelson

A primeira vez que encontrei Nelson Bordello.

A historia que hora relato é apenas parte do que me lembro, pois se lembrasse de tudo não estaria aqui para contar. Foi em algum lugar da década de oitenta que conheci o Sr. Nelson. A primeira vez foi no Rococó Bilhares que na época era na rua da Bahia entre Timbiras e Guajajaras, região fronteiriça entre o Baixo Savassi e o Alto Belô. Jogava com um amigo uma partida de vida, valendo centavos, porque temíamos o vício do jogo apostado.
Na mesa ao lado era jogada uma partida acirrada, os jogadores muito sérios e concentrados só bebiam café. A garçonete pediu que falássemos baixo e sem rompantes. Foi então que sacamos, havia algo tenso e nos chamou a atenção a atitude daquele senhor.
Não dobro a aposta, faço mais, ofereço meu Monza como garantia. Falando isso, o Senhor tirou do bolso as chaves. O outro não se fez de rogado e empenhou um sítio em Sarzedo como garantia. Quase paramos o nosso jogo para assistir ao dos profissionais. Mas uma regra da casa não permitia: não era aceito que jogadores ficassem sapiando o jogo de outras mesas. Assim também como eram proibidos gritos, palavrões e estalos de dedos.
De rabo de olho acompanhei a partida e elegi para torcer o homem que ofereceu o Monza, o carro dos meus sonhos na época. Ao final, deu uma lavada no oponente, terminou o jogo e saiu de fino, sem fazer roda, sem aceitar cumprimentos, levando apenas a promissória que o sujeito assinou na mesa de jogo e que garantiria a transferência do sítio para o vencedor.
Dias depois estava no Tim Academia de Bilhares, ali na Rua Carijós, entre Espírito Santo e Bahia, reduto de jogadores profissionais e costumeiros, quando revi aquela figura marcante. Ele não jogava, estava no balcão tomando café e conversando com a Judite, a garçonete. Foi ela quem nos apresentou quando cheguei e pedi uma cerveja. Imediatamente Sr. Nelson me convidou para uma partida. Expliquei que era amador e já havia visto-o jogando no Rococó. Para a minha surpresa ele também se lembrava de mim e me propôs uma jogada. Era simples, eu o desafiaria frente a todos. Os desavisados apostariam nele, ele perderia e racharíamos os lucros.
Fiquei temeroso, mas frente aquela figura não tive como recuar. Foi uma experiência extraordinária, na Academia de Bilhares havia um Apontador que anotava as apostas, quando o clima esquentava a casa fechava as portas e todos se juntavam ao redor da mesa para assistir. A coisa ficou tensa, eu tremia e foi Judite, a mando do Sr. Nelson, quem me salvou. Quando pedi um café ela me atendeu com um rabo de galo, um legítimo coq tail com a mistura de todos os destilados do bar.
A bebida segurou minha tremedeira e terminei a partida com uma vitória apertada. Sr. Nelson me cumprimentou com seriedade e discretamente colocou um papel em meu bolso. Fui até o banheiro e li: Pegue o dinheiro e vá para o Sertania, procure o Ronaldo e avise que chego mais tarde.
O Sertania é um copo sujo ali no Baixo Belô, na Rua da Bahia com Caetés. Procurei o tal Ronaldo e quando disse que havia sido indicado pelo Sr. Nelson, ele me apontou a escada e indicou o segundo andar. Era um lugar reservado para clientes especiais, mesas de carteado e muita fumaça no ar. Um garçom soturno e truculento me indicou uma mesa, sentei e pedi um café. Em instantes o Sr. Nelson chegou, dividimos os ganhos e ele me disse: você tem futuro, encontraremos mais. Levantou-se e se foi. 

Ezequiel D'oliveira.

Semana de 22 a 27 de junho



Confira a programação desta semana:

22/06 – Terça-feira
- Sarau do viaduto: o principio é democrático e inesperadamente alguém da platéia vem e dá o seu recado. O importante é a expressão e as múltiplas potencialidades. Vamos sarauzar!!!
 Entrada: R$ 3,00 ou a doação de um livro de literatura.
Os livros doados entrarão para o movimento do livro livre:  www.livrolivre.art.br

 23/06 – Quarta-feira

- Especial: Quarteto Guandu. O intuito do grupo é pesquisar estilos musicais e reescrever peças de autores consagrados como Heitor Villa Lobos, Paul Desmond, Herbie Hancock, George Gershwin, Roberto Menescal, Baden Powell, Hermeto Pascoal e o mestre Tom Jobim, dentre outros.
Entrada: R$ 7,00
Desconto de R$1,00 para bigodes.




24/06 – Quinta-feira
- João Antunes Trio convida Tiago Barros.
- DJ Encouraçado Botiquim: com Daniel Mendonça, detentor de vasto acervo, misturando vários estilos com o intuito de ampliar a experiência de ouvir.
Entrada: R$ 10,00.
Promoção: Compre 4 cervejas 600ml e ganhe um caldo.


 25/06 – Sexta-feira


- Nelson Bordello apresenta SEXTA FUNKY: Noite de black music que irá sacudir as sextas-feiras da cidade. Dj residente Tomás, convida Nem Black
Entrada: R$ 7,00.






26/06 – Sábado
- The Junkie Dogs : Transitam entre a energia e a delicadeza, a temeridade, a introspecção e a melancolia. O silêncio, o grito desesperado, o refinamento e o rebaixamento total ao underground.
- DJ Ludicanti: vocalista da banda The Junkie Dogs
Entrada: R$ 10,00.


27/06 – Domingo
- Gafieira com Senta a Pua! Senta a Pua!  resgata a tradição das antigas gafieiras e da dança de salão. Com Rodrigo Torino no violão de 7 cordas, Juventino Dias no trompete, Tiago Ramos nos saxofones, Pablo Malta no cavaquinho, Aloísio Horta no baixo, Maurício Ribeiro nos teclados e Gustavo Grieco na bateria.
- DJ César Coelho
Entrada: R$ 10,00.

Programação da semana

15/06 - Terça-feira




Dj Black Josie
MPB "Música Preta Brasileira"
+ Palco Aberto
Entrada: R$ 5,00 ou a doação de um livro de literatura







16/06 – Quarta-feira

- Strip-se: realizado pelo Grupo Irregular de Teatro, cujos integrantes variam a cada apresentação, Strip-se traz cenas provocantes, que prometem aquecer as noites desse inverno no Nelson Bordello, com performances inspiradas na poesia visual do espanhol Joan Brossa;

- DJ Guadalupe: propõe uma mistura sonora, que engloba desde as músicas das tabernas romenas até o jazz do Moulin Rouge;

Entrada: R$ 6,00

17/06 – Quinta-feira

- João Antunes Trio: O cool jazz, a música instrumental brasileira e composições próprias dão o tom do repertório do João Antunes Trio. Formado por Tarcísio Braga na bateria, Pablo Souza no contrabaixo acústico e João Antunes na guitarra;

- DJ Encouraçado Botiquim: com Daniel Mendonça, detentor de vasto acervo, misturando vários estilos com o intuito de ampliar a experiência de ouvir;

Entrada: R$ 10,00.

18/06 – Sexta-feira


- Nelson Bordello apresenta SEXTA FUNKY - Noite dançante que vem para revolucionar as sextas-feiras da cidade. Novo espaço cultural está aberto a todas as tribos amantes da pista e do groove. Com som do DJ Roger Moore, que tocará hits da antiga Broaday, boate histórica na Belo Horizonte dos anos 90, onde as noites eram embaladas pela mais autentica black music.

Entrada: R$ 7,00.




19/06 – Sábado

- Desde 2004 na ativa, o grupo, formado por Deco Lima (voz e guitarra), Saulo Rajão (baixo), Ricardo Neguim (bateria) e Walyssom Liliu (percussão) mistura rock’n, samba, elementos do funk e soul dos anos setenta, além de ritmos como o funk-carioca da música “Bela Princesa’’e o punk rock da música ‘Manicure”.

- DJ Rafa Soares: conhecido DJ de festas como Uma noite pelo Samba, que acontece há doze anos no bar A Obra e Sambacana Groove, já dividiu o palco com DJ Malboro, Daise Tigrona, DJ Nutz e muitos outros.

Entrada: R$ 12,00.


20/06 – Domingo


- Formado por Nete Barros (voz e violão), Juliana Floriano (voz, percussão), Fabrícia Oliveira (pandeiro) e Taís Rezende (percussão), o Breque Samambaia tem como repertório canções próprias, inspiradas no Tropicalismo e Manguebeat, além do rock, salsa, funk e pop;


- DJ CaspeRoots: conhecido DJ da noite belohorizontina, realiza mixagens próprias a partir de ritmos como o Nujazz & Afrobeat, NuJazz, Lounge, Soul, Trip Hop, dub e sambas.

Entrada: R$ 10,00.

Vem aí

O Nelson Bordello abre suas portas e promete esquentar as noites com atrações artísticas variadas, revivendo o tempo dos cabarés.
Música e gastronomonia no Bordello tem. As terças-feiras a literatura invade a casa chamando aos loucos e as desvairadas. Quarta é o dia em que a casa se transforma em um grande cabaré com suas gaiolas e dramas. As quintas vamos de jazz e instrumental, porque não? Sextas-feiras voltamos nossos rostos para mãe África ao som do beat e do drumm: soul e rap. Sábado é dia de festa. Domingo não há de faltar nunca samba, feijoada e cachaça, muita cachaça.
Bem-vindos ao Bordello.

Nelson Bordello
Como tudo que anda.
(31) 8878-7026
(31) 3201-3006

PerformaFunk

Intervenções urbanas propõem experiências de corpo sem órgãos a partir da resignificação do funk.



Idealizado pela performer Christina Fornaciari e contemplado pelo Prêmio Funarte de Artes Cênicas na Rua, PerformaFunk faz duas intervenções em Belo Horizonte nos dias 22 e 23, nas redondezas da Praça da Estação.
PerformaFunk é composto por um grupo de artistas: os performers Marcelle Louzana, Paula Nunes, Eduardo Mendes e Gustavo Botelho, no vídeo, Paloma Parentoni, no som e João Castilho nos registros fotográficos. Em abril, a intervenção segue para Ouro Preto.




Agradecemos ao Centro Cultural Nelson Bordello, que literalmente deu energia ao nosso projeto!


PerformaFunk – Performance Intervenção
Local: nos arredores da Praça da Estação
Dia 22 e 23 de fevereiro.
Fique atento à cidade!
Informações: Christina Fornaciari - 8496-6166